Sexta-feira, 29 de Junho de 2007

Escravos do tempo

 

"Não tenhas planos para a vida para não estragares os planos que a vida tem para ti".

Agostinho da Silva

... E é isso mesmo. Muitas vezes, preocupamo-nos com o futuro e vivemos presos ao passado. Muitas vezes, não vivemos o presente, que é o mais importante, porque é no presente que corrigimos os erros do passado e é no presente que construimos o futuro. Ao viver o futuro, ao planeá-lo, esquecemo-nos do factor imprevisibilidade. Esquecemo-nos que o futuro nunca depende apenas de nós. Esquecemo-nos de que as nossas escolhas, feitas agora, no presente, e feitas no passado é que vão afectar o futuro.

 

Por vezes, sofremos com antecipação, julgamos precipitadamente, sentimos o que não está a acontecer agora. Isto é mau, porque gastamos a nossa vida a antecipar e não a viver. Cria obstáculos à nossa felicidade, bloqueios que impedem o nosso ser de fluir livremente.


E quando falo de futuro, falo no futuro pessoal de cada um, na vida de cada um. Não falo do futuro da Terra, do Universo, etc., porque aí temos que ser humildes: não depende exclusivamente de nós; depende em parte das nossas atitudes e escolhas do presente, mas não mais do que isso. O que tiver que ser, será. E as projecções deverão servir para alertar, não para "dramatizar" e sofrer antecipadamente.

 

Sim, é bom fazer projecções de vez em quando - eu adoro fazê-las. É bom analisar as possíveis consequências de algo. É bom sonhar e imaginar como seria se as coisas fossem mais assim ou mais assado. Mas também é saudável manter um distanciamento emocional das projecções e deixar que as coisas aconteçam como têm que acontecer.


Ainda não cheguei lá... Ainda sinto-me presa pelo tempo. Mas já fiz progressos, ao longo das minhas vivências. E quero progredir muito mais, libertar-me e sentir-me como parte de algo maior que me ultrapassa. Não quero controlar o tempo que tenho... quero vivê-lo, enriquecer o presente com experiências, deixar o passado para trás e enfrentar o futuro à medida que este se desenrole no presente.

publicado por LadyArwen às 11:51

link do post | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar
Quarta-feira, 27 de Junho de 2007

Um apontamento...



Alterações climáticas aceleradas... As temperaturas chegam perto dos 50 graus no Mediterrâneo, enquanto violentas tempestades assolam alguns países do centro/norte da Europa... Temperaturas muito díspares no continente Europeu... Secas e chuvas torrenciais no mesmo hemisfério, ao mesmo tempo...

Será que os cientistas preveram que iria acontecer tão rápido?!
publicado por LadyArwen às 21:10

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar
Sábado, 23 de Junho de 2007

2012: A verdade está aí algures...



Já há algum tempo que não venho actualizar o meu blog. Como gosto de colocar sempre uma reflexão sobre um determinado tema, o tempo disponível nem sempre é suficiente para tal.

Ultimamente tenho lido muito sobre o ano 2012. Não acredito num fim-do-mundo previamente anunciado, até porque já houveram tantas previsões fatídicas para 2000 e 2006 que não se concretizaram. Mas acho que existem algumas "coincidências" acerca do ano 2012 que merecem alguma reflexão.

De acordo com o Calendário Maia ancestral, aproximamo-nos do fim do ciclo de 26.000 anos que se completa a 21 de Dezembro de 2012. O curioso é que o Calendário Maia termina aí, mas esse facto poderá ter a ver com o desaparecimento precoce desta antiga civilização, ainda misteriosa. Não acredito que isto indique o "fim do mundo", mas sim que se refira ao fim dum ciclo e ao início de outro. Existem outros povos ancestrais que no seu legado deixaram previsões para o final dum ciclo, o que vivemos agora, e início duma nova Era.

Também li sobre o efeito dum "Cinturão de Fotões" que está a “despertar” a consciência e capacidades ocultas dos humanos e está a diminuir gradualmente a rotação da Terra, aumentando a
ressonância de Schumann. Quanto a frequência de ressonância atingir os 13 ciclos, a Terra vai parar e entrar no ponto zero do campo magnético, ficando assim por dois ou três dias e depois começará a girar novamente na direcção oposta, provocando a inversão dos pólos magnéticos. Com ou sem Cinturão de Fotões, sabe-se cientificamente que algo está a aumentar a ressonância de Schuman e sabe-se que a inversão dos pólos ocorreu várias vezes no passado, inclusive quando os humanos já vagueavam na Terra. Mas sobrevivemos, apesar duma inversão dos pólos magnéticos nunca ser “pacífica” e provocar muitos cataclismos e alterações climatéricas abruptas.

 

Outras teorias, algumas interessantes, outras nem tanto, incluem o contacto com ET’s, a abertura para outras dimensões, a queda dum asteróide, a entrada numa Era Glaciar, uma lua de Marte que saiu da sua órbita e caminha para nós, etc, etc...

 

Uma coincidência (ou não, pois não acredito em coincidências) é o facto de, em 2008, iniciar-se mais um ciclo (prematuro) de tempestades solares. É um facto. Estes ciclos ocorrem a cada 10 anos, aproximadamente. Está previso que o próximo inicie-se em 2008 e atinja o seu auge em 2012, sendo o mais forte dos últimos 50 anos. Consequências? Problemas nas comunicações em muitos pontos do globo e alterações climatéricas. Nada de alarmante, a não ser que ultrapassem os limites previstos.

 

Por mais teorias, cientificamente correctas/fundamentadas ou não, que possa colocar aqui, a verdade é só uma: as consciências precisam de mudar o mais rápido possível, antes que seja tarde demais – se já não o for. O mais natural é que a Terra proceda à selecção/redução do número de seres humanos, seja de que forma for e seja quando for.


A verdade é que tem que haver algo que no futuro abane a Terra ao ponto de mudar tudo e de acabar com os conceitos do passado, onde as religiões dêem lugar a uma espiritualidade mais global e menos dogmática, onde o capitalismo e a ganância deixem de ser a ignição para destruir o ambiente e as pessoas, onde as máquinas sirvam como auxiliares e não para alienar os pensamentos, onde todos sejam verdadeiramente iguais e não julgados pela sua riqueza ou poder. E claro que para isso o cérebro humano tem que despertar, tem que desenvolver novas capacidades e atrofiar algumas das que tem agora. Claro que o DNA tem que mudar, ou nunca iremos evoluir. E acredito que a Terra e o Universo trabalhem para que o caos não domine...

 

Por isso, resta-me continuar na minha "busca pela verdade", continuar a abrir a minha mente, atenta para não cair em rasteiras e aprendendo a distinguir o que é verdadeiro do falso, amar incondicionalmente, respeitando o próximo e a Terra. Assim, sei que, vindo o que vier quando vier, não vivo atormentada ou presa, enredada em esquemas materialistas.


Não acredito no medo, na mentira, na estagnação, no fim de tudo. Acredito numa transformação, numa transição para uma Era melhor, onde todos possamos viver em fraternidade.

publicado por LadyArwen às 21:03

link do post | Comentar | Ver comentários (7) | Adicionar
Sexta-feira, 15 de Junho de 2007

Os Mistérios do Universo

Por vezes, gosto de me pôr à procura das novidades e descobertas espaciais, e cada vez mais convenço-me de que a Terra não é o único planeta habitado por seres inteligentes, que não fomos os primeiros e que o conceito de vida e de inteligência vai muito para além do que estamos habituados a ver no nosso planeta.



Vejamos algo intrigante na foto acima. Uma estrutura hexagonal no Pólo Norte de Saturno, sem explicação. Como é que existem forças, na superfície de Saturno, capazes de provocar a formação de uma estrutura em forma de hexágono nas suas camadas atmosféricas? Como é que poderão existir ventos capazes de produzir um "centro hexagonal" de nuvens e que se mantém estável há decadas?


Existe muita coisa no cosmos que escapa aos seres humanos. Até agora, levantamos apenas uma pequena pontinha do véu. São oceanos, outrora abundantes em Marte, que se "escaparam" para o Universo ainda sem uma explicação plausível. São diversas luas dos gigantes gasosos com condições exóticas, aparentemente difíceis para a vida, mas férteis em hidrocarbonetos, o que pode indicar a presença de seres, pelo menos, unicelulares. É a própria origem do Universo, cuja teoria mais popular, a do Big Bang, começa a ficar para trás. São as dimensões desconhecidas do Universo, os seus limites e o que existe para lá disso. É a matéria negra que ainda não se sabe do que é feita, mas que está lá... Isto é apenas parte do que sabemos, pois penso que agências como a NASA escondem muito mais do que divulgam...


A Humanidade ainda tem muito que percorrer para conseguir entender a dinâmica do Universo. Um ponto de partida será sempre questionar, deixar de lado a arrogância da "verdade absoluta" de algumas leis da Física que começam a ficar ultrapassadas à medida que as descobertas são feitas. Outro passo fundamental é aceitarmos que somos todos feitos de matéria do cosmos, que existe uma ligação e que tudo o que acontece à nossa volta influencia-nos e ao Universo. E ainda, tirar da cabecinha a ideia de que somos os únicos seres inteligentes em todo o Universo, se até é duvidoso catalogar algumas espécies de animais como irracionais...

Espero sinceramente que a curiosidade e a busca de respostas pelos humanos ultrapassem a sua necessidade de dominar, de consumir e de destruir. Espero estar aqui para ver o dia em que nos encontrarmos com uma civilização extraterreste, e se não for nesta vida que seja numa das próximas.
publicado por LadyArwen às 15:37

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar

Eu sou pelos gatos...



Eu sou pelos gatos.

 

Porque eles lembram-me o quanto é importante a liberdade.

Porque eles são o que são e fazem o que querem, sem se subjugar a nenhum ser humano.

Porque é tão bom vê-los a dormir regalados nas posições mais incríveis.

Porque são capazes de distinguir quando estou bem e quando estou mal, adoptando diferentes atitudes.

Porque surpreendem-me dia-a-dia com a sua curiosidade, as suas manhas, travessuras e capacidades incríveis.

Porque são carinhosos para quem querem, quando querem, e demonstram sempre se gostam de alguém ou não, não conhecendo a dissimulação.

Porque sabem levar a água ao seu moinho, conhecendo-me melhor do que eu a eles e sabendo como me “manipular”.

Porque admiro as suas expressões, sempre de “putos traquinas”, nunca esquecendo-se de brincar ou de inventar novos jogos, fazendo de uma simples fita um brinquedo espectacular.

Porque o seu instinto de caçador faz-me ficar deliciada ao assistir a uma grande caçada a uma pequenita mosca, terminando com grandes lambidelas nos lábios, como se tivessem comido um grande petisco.

Porque sabem quando comer, quando se lavar e quando ir ao WC, de mansinho e discretamente, sendo exigentes na sua higiene e reclamando quando não limpo a caixinha da areia.

Porque são amigos de quem é seu amigo, não permitindo abusos, invasões de território sem permissão ou distanciamento exagerado.

Porque estão sempre impecáveis, graciosos, em poses elegantes, mas sem os artificialismos dos humanos.

 

Estarei a humanizar o comportamento felino? Provavelmente… Mas quem tem um (como eu) ou mais do que um gato de estimação sabe do que falo.


Acabamos desculpando as miadelas "chatas" de madrugada a pedir atenção e baboseira, ou a destruição dum saco de papel, ou as lambidelas insistentes num plástico, ou a teimosia em remexer a terra dum vaso ou beber água dum copo alheio, ou passear na mesa enquanto comemos, ou saltar para lugares "proibidos".

Acabamos esquecendo aquelas arranhadelas e dentadas nas “sessões de escovadelas”, forçadas mas necessárias.

Acabamos não conseguindo pô-los de castigo durante muito tempo, bastando olhar para os seus olhos transparentes para ver o quanto estão magoados connosco.

 

Eu sou pelos gatos… porque somos tão parecidos com eles mas não conseguimos ser tão genuínos e únicos. Porque, no fundo, gostaria de ser como eles.

publicado por LadyArwen às 14:28

link do post | Comentar | Adicionar
Quarta-feira, 13 de Junho de 2007

O dia depois de amanhã...



Pois é... As alterações climatéricas já estão aí e já se fazem sentir. Há alguns anos atrás, quando as grandes potências e muitos cidadãos comuns ouviam falar desta problemática, das previsões catastróficas e do aumento do efeito de estufa, achavam que os cientistas "estavam a exagerar". Agora estão aflitos, sem saber bem por onde começar. Muitos ainda recusam tomar medidas a curto prazo, alegando ter "outras formas de tomar essas medidas" (como o presidente Bush, que tanto "adoro"), que é a mesma coisa que dizer que não vão fazer nada para já. Nem com o aumento da intensidade e frequência das tempestades nos EUA se o presidente e o governo desse país ACORDAM!... Para eles, o que ainda vale é o lucro, as guerras (por causa dos negócios do armamento) e o império...

Agora pensemos nos efeitos mais práticos destas alterações. Como serão? Apenas subida de temperatura, das marés, e mais nada?... Não. Vai muito para além disso. A Terra tem um sistema de regulação das temperaturas e do clima. Uma mera subida de 1º C pode desequilibrar várias zonas no globo, originando tempestades mais fortes, fora de época e em locais diferentes, apanhando populações inteiras desprevenidas. A subida das marés irá afectar grandemente países com muita extensão costeira, como Portugal, acabando, por fim, por submergir populações que vivem à beira-mar e contaminando fontes de água doce. A temperatura na zona do Mediterrâneo vai chegar, num futuro próximo, a um ponto insuportável no Verão, com mais secas e incêndios. Os Invernos vão se tornar mais curtos e secos, passando a chover mais na altura da sementeira. Tudo isto provocará graves danos na agricultura, em todas as actividades económicas do Homem e em todos os ecossistemas, pois não haverá tempo de adaptação para as espécies de plantas e animais. As temperaturas mais quentes levarão à migração de espécies dos trópicos para as zonas temperadas, sendo algumas dessas espécies vectores de doenças, o que vai alargar a extensão das doenças tropicais, como a malária e outras.

E isto é apenas um resumo do que já começou a acontecer. Reparem, em Portugal e nas Ilhas, no passado mês de Maio e agora no mês de Junho. Consideram normais estas oscilações bruscas de temperatura no mesmo dia, com amplitudes térmicas elevadíssimas? E as mudanças repentinas do tempo, cada vez mais frequentes?

Existe uma teoria "assustadora", que é retratada, com todos os exageros Hollywoodescos possíveis e muitas gralhas cientificas, no filme
"O Dia Depois do Amanhã", mas que não é totalmente descabida de verdade. Se as temperaturas continuarem a subir, se os degelos chegarem ao ponto de afectar o equilíbrio de sais no oceano, tudo isto pode levar ao desequilíbrio das correntes oceânicas que regulam a temperatura do globo, podendo antecipar a entrada da Terra duma Era Glaciar. Sabe-se que no passado da Terra existiram extinções em massa bruscas, muitas ainda sem explicação. Sabe-se, pelo estudo dos gelos fósseis, que a entrada nas Eras Glaciares do passado não foi lenta, mas rápida. Se continuarmos a saturar a Terra, ela poderá arranjar uma maneira de tentar voltar ao seu equilíbrio... E podemos estar a caminhar para a nossa auto-destruição. Seríamos capazes de sobreviver a uma nova Era Glaciar?...

Por isso, pensem. Mas não apenas no corriqueiro do dia-a-dia. Estejam atentos, vejam o que podemos fazer para ajudar a Terra. Antes que seja tarde demais...

publicado por LadyArwen às 21:29

link do post | Comentar | Adicionar
Terça-feira, 12 de Junho de 2007

As crianças desaparecidas e o caso Madeleine



Tenho evitado falar do caso "Madeleine". Não por falta de simpatia, não por não me revoltar. Sim porque o que penso acerca deste caso pode ser considerado polémico.

Tenho admirado a coragem dos pais de Madeleine, que apesar de, no seu interior, a esperança de encontrar a sua filha diminuir a cada dia que passa, continuam a fazer o tudo por tudo para que o mundo e os média não se esqueçam dela. A correr o mundo à procura de um rasto, de uma pista credível. E espero que o caso tenha um final feliz, mesmo que levem anos a encontrar a pequenita.

O que me irrita neste caso nada tem a ver com a pequenita Madeleine ou com os seus pais. Tem a ver com a Comunicação Social em Portugal. Tem a ver com o eterno comportamento servil dos portugueses perante pessoas de outros países.

Por outras palavras, quando uma criança portuguesa desaparece, e mesmo que os pais o tornem público, não vemos tanto aparato ou tanta cobertura na Comunicação Social. Não vemos a Polícia a insistir tanto no caso e a fazer o tudo por tudo para encontrar a criança. Não vemos tanta solidariedade do povo português... Isso entristece-me.

O que vale é que o caso Madeleine tem levantado estas questões, tem ajudado a divulgar os casos das crianças desaparecidas em Portugal e conseguido fundos para associações de solidariedade. Ao menos isso! Mas é preciso desaparecer uma menina inglesa no Algarve para que isso aconteça?... É triste.


Gostaria de relembrar que, por este mundo fora, desaparecem todos os dias crianças. Muitas delas são encontradas anos depois. Outras nunca são encontradas e nunca se soube o que lhes aconteceu. Muitas desaparecem por entre redes pedófilas, de tráfico de crianças de prostituição. Algumas estão presas por "tarados" em caves. E muitas devem morrer desamparadas... A maioria das famílias afectadas não podem contar com a solidariedade com que conta a família de Madeleine.

Espero sinceramente que tudo acabe bem, não apenas para Madeleine mas também para muitas outras crianças que se encontram desaparecidas. Queria deixar aqui uma palavra amiga para todas as famílias que perderam um filho ou filha, sem saber como nem porquê, pois deve ser um sentimento terrível. Nunca desistam, pois desistir é morrer!



Que crueldade é a Humanidade capaz de exercer sobre a sua descendência, tão frágil, ingénua e inocente?...
publicado por LadyArwen às 16:05

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar

Eduardo Prado Coelho

 

Achei esta reflexão interessante, e também se aplica à Região Autónoma da Madeira.

 


Eduardo Prado Coelho - In Público

 

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres. Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada. Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates. O problema está em nós. Nós como povo.

Nós como matéria-prima de um país. Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais o que o euro. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos... e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país onde a falta de pontualidade é um hábito. Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros.

Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é muito chato ter que ler) e não há consciência nem memória política, histórica nem económica. Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar a alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser compradas, sem se fazer qualquer exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não dar-lhe o lugar. Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão. Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes. Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado. Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas. Não. Não. Não. Já basta.

Como matéria-prima de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que nosso país precisa.

Esses defeitos, essa CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA congénita , essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não em outra parte...

Fico triste. Porque, ainda que Sócrates fosse embora hoje mesmo, o próximo que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, e nem serve Sócrates, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa?

Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa.

E enquanto essa outra coisa não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente abusados!

É muito bom ser português. Mas quando essa Portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda..

Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um Messias.

Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer. Está muito claro... Somos nós que temos que mudar. Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a nos acontecer: desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso. É a indústria da desculpa e da estupidez. Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido. Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO.

AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO EM OUTRO LADO.

E você, o que pensa?.... MEDITE!

publicado por LadyArwen às 15:43

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar
Domingo, 3 de Junho de 2007

Um poema meu sem título com alguns aninhos...



Fecha os olhos,

Pára, acalma e escuta,

Ouve os teus sonhos,

Segue-os sempre e luta...

Vive para o momento,

Sê sempre quem és,

Afasta o sofrimento,

Assenta bem os teus pés

E deixa o dia correr...

Vive intensamente,

Não procures soluções,

Não cedas ao inconsciente,

Não julgues as acções...

Vive com liberdade.

Expressa-te como quiseres!

Não analises a realidade,

Não fujas do que temeres,

E assim serás sempre feliz...

Capaz de admirar a vida.

Assim terás a força motriz

Capaz de encontrar sempre uma saída.

Procura a verdade,

Constrói a tua realidade,

Mas sonha...

Nunca deixes de sonhar.

Ama...

Nunca deixes de amar.

Lembra-te que só colherás

Tudo aquilo que semeaste...

Lembra-te que só terás

Apoio de quem apoiaste...

Não ligues ao mundo,

O mundo é o que fazes dele.

Não olhes para o fundo,

Mas sim para a tua pele.

E saberás onde estás...

E saberás do que és capaz.

E terás o mundo a teus pés.

Vive...sofre...luta...vence!

Escuta sempre o teu coração.

Nem tudo é o que parece,

E se tiveres esta noção

Livre viverás...

E não apenas sobreviverás.

A vida somos nós e o que fazemos dela...

Basta-nos seguir a nossa estrela!

Somos sempre capazes de torná-la bela.

 

05/07/2002

J. Martins

publicado por LadyArwen às 20:36

link do post | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar

.Pesquisar neste blog

 
QUEM SOU: Joana Martins

ASTROLOGIA: Aquário com ascendente em Caranguejo

COMO SOU: Irreverente, obstinada, polémica, mas ao mesmo tempo calma, pacífica, sonhadora...

SUMÁRIO: Uma idealista que gostaria de viver num mundo muito diferente

.A Lady Arwen...

.Posts recentes

. Momento musical...

. A comédia nas Eleições Le...

. Momento musical...

. A calmaria do Sol: bonanç...

. O número 9 e a data 9/09/...

. E se a Carolina Patrocíni...

. 11:11

. Earth song

. O mar fala de ti

. Eles falam falam...

.Biblioteca da elfa

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Dezembro 2008

. Maio 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

.Os meus links


visitantes online

Free Site Counters
hit Counter